•.¸¸.ஐ Minha culpa

Uma nesga de luar transpassa a cortina...
abro minhas janelas e a luz me invade:
a madrugada se despe a minha volta.

Em meu íntimo ainda mora um sonho,
como se só sobrevivesse para escrever outra vez,
e nunca chega para mim o tempo da quietude,
pois não compreendo histórias lineares,
reações exatas ou gestos estudados.

Contorno meus lábios provando-os,
como se buscasse um vestígio qualquer
do 'eu te amo' tantas vezes pronunciado;
não me agradam essas palavras ressoando pela noite.

Visto-me de ousadia
e me entrego à liberdade de um voo solitário.
Sigo até o infinito na negra face do horizonte
buscando as cores distantes
que outrora compunham as trilhas do arco-íris,
onde habitam todas as minhas memórias.

Em meus borboleteios,
colho os botões de rosa orvalhados de Eros
nas primeiras horas das primaveras,
deixo espalhadas todas as minhas auroras,
abandono-me à doçura dos ocasos
e faço minha a voz do silêncio.

Imersa na cadência de um sussurro irrefletido,
meus passos nunca reconhecem o caminho
que impõe apenas o seguir em frente;
como relatar ao mundo o momento em que me detenho
a observar o acariciar do vento nas pétalas de uma flor?

Vinde, ó Musas!
Trazei as palavras que me escapam, as rimas que não encontro,
a paz que nunca esteve comigo,
posto ser minha alma feita de amor e de letras.

Vinde, filhas de Zeus!
Aplacai os gritos das marés de silêncio de minhas saudades
tocai com vossos dedos de nuvem em meu cerne
e fazei estancar o sangue de minhas feridas.

Assim como minha mestra, a Grande Sapphō´ de Lesbos,
declaro-me culpada de sempre despir minhas máscaras
por ser em outro olhar onde desejo me encontrar e me reconhecer...

21 comentários:



Max Psycho disse...

gata meus parabéns por mais um poema lindo e maravilhoso, apesar de voce insistir em sempre colocar um eu te amo nos poemas, não vale a pena amar, o destino ja me provou isto, bju grande meu anjo

Vivian disse...

...hoje,
sempre,
e em qqr tempo
o amor valerá a pena!

colha-o, é todo seu.

baci, bela farfalla!

Sammyra Santana disse...

Bruuu... tb declaro-me culpada!
e que mensagem mais linda do Wilde vc me mandou... simplesmente a-do-rei!
Ah, tô divulgando uma campanha+promoção do blog de uma amiga lá no Borboleteando. Dá uma olhadinha e, se der, participa!
Bj

Carla disse...

despir a máscara e expor os sentimentos...assim deve ser
beijo

Duas Meninas: Um Grande Amor disse...

que blog mais maravilhoso.... "C"

º Tayla º disse...

o Max e a não aprovação do amor..hahaha..!

Bru, mais uma vez tá perfeito o texto!

Ahh eu te adicionei no msn, te vi várias vezes on já, mas ainda não tive oportunidade de falar com você!! Espero falar em breeve..hehehe..

Beijo!

Lelli Ramz disse...

olha eu contra a Grande Sapphō´ de Lesbos.. amo despir de todas as máscaras...

nem as uso mais.... faz um tempo!

bjinhus, máscaras e poemas


perfeito:)


Lelli

Pri disse...

Culpa... temos usado muito essa palavra ultimamente... mas ainda acho que ela é 100% minha ...

Marcia Paula disse...

Tem selo e meme pra vc lá no meu blog.Volto ainda hoje por aqui(estou ouvindo Despina...rsrrs).

Nilson Barcelli disse...

O seu poema, prova que as palavras não lhe escapam e que as rimas são muito bem encontradas pela poeta que há em vc.
Este poema, querida amiga, é soberbo. Vc respira poesia e ler estas suas palavras foi um momento ímpar para mim.
Obrigado, Bruna, por escrever tão bem.
Bom fim de semana, beijo.

Marcia Paula disse...

Hum.Você não precisa de musas,acho,não as inspiradoras...Realmente nos remete de volta aos clássicos,em diversas épocas distintas.Beijos,poetisa.

Úrsula Avner disse...

Olá minha linda, quanta profundidade lírica derramada em versos poéticos, revelando sentimentos intensos, lugares cavernais do seu interior, da sua alma. Lindo e sensível ! Bjs.

A.S. disse...

Melo poema!!!
Uma conjugação perfeita entre a expressão poética e a mitologia, uma construção sempre muito delicada!

Parabéns!!!


Beijos...

Andreia disse...

Isso chama-se vulnerabilidade! *

Dois Rios disse...

Não beba suas culpas, minha querida. Elas têm sabor amargo. Beba a sua vida, a sua querência e todo amor que lhe cabe dar e receber. O resto, como diria um grande amigo, são seixos para Iemanjá.

Beijos encantados com os seus versos.

Inês

O Profeta disse...

Texto e imagem soberbos...


Doce beijo

Dri Viaro disse...

Já estou de volta e o blog tb agora com as atualizações diárias, boa semana
bjs

Avid disse...

Es infinita na escrita...bordas as palavras com aroma e sabor. Belo post!
Bjs meus

Cαmilα ♥ disse...

Que poema mais lindo!
*-*

'Trazei as palavras que me escapam, as rimas que não encontro,
a paz que nunca esteve comigo,
posto ser minha alma feita de amor e de letras'

Bru... saudade de voce! Que bom voltar e ler algo tao sublime.
BeijOs

bia de barros disse...

Mais que ditas, as palavras
'Eu te amo' devem ser vividas
Para dar sentido à vida
Tantas vezes nua, tantas vezes fria...

beijos de luz iluminando teu caminho,
BeA.*

AIRAM disse...

Princesinha vc é D + mesmo. mas nada a comentar, suas palavras não me deixam mentir.